Colaborações Nacionais

   

O Programa tem buscado parcerias e tem recebido apoio de várias instituições de renome nacional e internacional. Destacam-se as parcerias com a Embrapa, Epamig, UFLA, ESALQ-USP, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCC-UFRJ), UFV e várias empresas do setor produtivo, situadas em Itajubá, como a AREVA, Mahle, Helibrás, entre outras, que possibilitam o desenvolvimento de pesquisas aplicadas. Além dessas, existem projetos desenvolvidos junto a FURNAS, CEMIG e SUPRAM.

O Programa mantém convênio, ainda, com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, por meio de cooperação e intercâmbio científico, que abrange atividades de pesquisa, desenvolvimento, formação e treinamento de recursos humanos, absorção e transferência tecnológica. Ressalta-se, também, a participação do docente Roger Torres na colaboração com CEPAGRI/Unicamp e Faculdade de Saúde Pública da USP, através do projeto CiAdapta e a participação do docente Benedito Cláudio Silva no projeto Rede Clima: Mudanças Climáticas Globais no Brasil.

O programa mantém parceria com a USP (Departamento de Ciências Atmosféricas com um artigo publicado em conjunto em 2019), UFMG (um artigo publicado em 2019 fruto da co-orientação de um aluno no Programa Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e UFRJ (participação como membro permanente do Programa de Meteorologia) através da Prof. Vanessa Silveira Barreto Carvalho.

Firmou-se parceria com a UNIFESP (prof. Werner Hanish) e com o Instituto Botânico (Profa. Andrea Tucci)para o desenvolvimento da dissertação da discente Natália Miranda Goulart.Parceria com docentes da UFRN (prof. Weber Andrade Gonçalves), INPE (profa. Izabelly Carvalho da Costa)e USP (profa. Rachel Ifanger Albrecht) nos projetos coordenados pelo prof. Enrique Vieira Mattos.O programa recebeu o professor Marcel Carvalho Abreu, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, para ministrar um Minicurso sobre o “Software R”.

   

Pode-se verificar no programa o intercâmbio entre professores que coorientam trabalhos:

a) Leonardo Frasson dos Reis, da UEMG – Universidade Estadual de Minas Gerais, doutorado em Neurociência e Cognição pela Universidade Federal do ABC, com formação em Medicina Veterinária e Ciências Biológicas.

b) Werner Siegfried Hanisch, Engenheiro Químico, doutorado em Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo.

c) Liliana Auxiliadora Avelar Pereira Pasin, doutorado em Agronomia, pela Universidade Federal de Lavras e professora da Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá – FEPI.

d) Luiz Fernando de Oliveira da Silva, doutor em Fitotecnia/Fruticultura pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), é Pesquisador na Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) e Coordenador do Programa Estadual de Pesquisa em Olivicultura.

e) Emerson Dias Gonçalves, doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas e pesquisadora Empresa de pesquisa Agropecuária de Minas Gerais.

f) Rachel Ifanger Albrecht, Departamento de Ciências Atmosféricas (DCA), Instituto de Astronomia,Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG), Universidade de São Paulo (USP).

g) Izabelly Carvalho da Costa, Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

h) Weber Andrade Gonçalves, Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

i) Gabriela Marques Di Giulio, Doutora em Ambiente e Sociedade, Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, Departamento de Saúde Ambiental.

j) Francisca Alcivânia de Melo e Silva, Doutorado em Agronomia (Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005). Atualmente é Professora Assistente Doutora da UNESP Campus Experimental de Registro-SP.

l) Reginaldo Barboza da Silva, Doutorado (2002) em Agronomia (área de concentração de Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras/UFLA, É Livre-Docente pela Universidade de Campinas(UNICAMP), nas áreas de Física e Conservação do Solo e da Água.

m) Rosmeri P. da Rocha doutorado em Meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1999).Atualmente é professor do Depto. de Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo.

n) Gustavo Carlos Juan Escobar, doutorado em Ciências da Atmosfera (2001) no Departamento de Ciências da Atmosfera da Universidade de Buenos Aires (U.B.A.), pesquisador no Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE).

o) Felipe Mendonça Pimenta, Oceanógrafo, UFSC. p) Fernando Ramos Martins, Geofísico – UNIFESP.